fbpx

Transição Do Mercado De Telecomunicação Para O 5G

Uma das grandes promessas de 2020 no setor de Telecomunicações era a implementação do 5G. Infelizmente, a falta de regras e de uma data específica para o leilão do 5G fez com que a possibilidade do acesso à essa tecnologia se postergar, no Brasil.

O que é 5G?

5G é uma tecnologia de conexão, que poderá ser alocada nas seguintes frequências: 3,5 GHz, 28 GHz, 37 GHz, 39 GHz, 64 a 71 GHz, 70/80 GHz. A conexão é caracterizada pela alta qualidade, velocidade e estabilidade. 

A tecnologia promete deixar o compartilhamento mais rápido, chamadas de vídeo mais estáveis, jogos online sem lag o download de arquivos super rápido. Um dos motivos é a redução da latência da rede. O tempo de envio e recebimento dos dados é quase simultâneo.

O 5G também traz uma melhor conexão em relação a quantidade de dispositivos conectados ao mesmo tempo. Por exemplo, aquele momento que todos da casa resolvem usar a internet simultaneamente. Parece que tudo fica travado. Agora, a conexão fluirá de forma que todos consigam utilizar de forma satisfatória.  

Diferenças entre 4G e 5G

  • Velocidade: a diferença mais notável entre as redes é a rapidez com que o 5G envia e recebe dados. Estima-se que a nova tecnologia, que conta com uma latência baixa, seja cerca de cem vezes melhor do que a atual. 
  • Internet das coisas: a tecnologia do 5G traz a possibilidade da IoT (Internet of Things) ou Internet das coisas. São dispositivos inteligentes conectados através da rede, exercendo funções, trocando informações entre si sem que haja uma intervenção humana. Isso favorece o desenvolvimento do conceito de Cidades Inteligentes, em que sistemas de iluminação e segurança estejam integrados, por exemplo. 
  • Integração na área da saúde: a capacidade do envio e recebimento de dados na conexão 5G faz com que cirurgias sejam feitas à distância. Com a rede ultrarrápida, de baixa latência, diversos procedimentos poderão ser feitos de maneira remota. Em alguns países como China e Espanha, cirurgias à distância, guiadas com imagem de alta qualidade já foram feitas.

Desafios para a transição

Existem dois principais desafios, que estão interligados, para uma transição para o 5G. A infraestrutura necessária para implementar esse tipo de tecnologia e os investimentos a serem feitos a fim de que a estrutura seja montada. 

No caso da infraestrutura, a construção de uma rede de qualidade demanda uma quantidade grande de fibra, profissionais de qualidade e equipamentos para manter a tecnologia. Para isso, é necessário investir recursos monetários.

Em países grandes ou em desenvolvimento, tudo isso pode demorar. É mais esperado que algumas regiões – como grandes centros – recebam investimentos e a tecnologia antes do que muitas outras. 

Esses desafios geram um outro problema a ser debatido, a desigualdade. Países, cidades ou até mesmo bairros mais ricos terão uma condição de conectividade melhor. Enquanto os mais pobres provavelmente demorarão a encontrar a tecnologia do 5G perto de suas casas.

A diferença também pode se relacionar com os dispositivos que aceitam a tecnologia. Nem todos os aparelhos são capazes de receber o tipo de sinal. Assim como quando houve a transição do 3G para o 4G, haverá uma parcela da população que não terá recursos para adquirir os equipamentos que aceitem a frequência do 5G. É uma espécie de elitização do consumo.

Contudo, o 5G não irá dizimar as demais tecnologias. Com a transição a ser feita aos poucos, os tipos de conexão apenas coexistirão. 

Onde já é possível encontrar 5G?

Cerca de 109 países já lançaram ou estão em fase de testes para implementar o 5G. Dentre eles, Canadá, Alemanha, Suíça, Austrália, Noruega, EUA, China e Japão. São mais de 300 operadoras ao redor do mundo.

No Brasil, dificilmente veremos o sinal de 5G ainda em 2020. O “leilão 5G”, como é chamado ainda está para ser marcado. A Anatel ainda está fazendo um  levantamento de dados pelo país para identificar quais serão as possibilidades da implementação da conexão.

Mesmo assim, algumas operadoras já estão realizando testes e é possível testar a conexão em pontos específicos. Além disso, um único aparelho a venda no país é compatível com o 5G, o Motorola Edge. A princípio, não há planos de telefonia que são específicos para o uso da conexão. Basta estar na localização com um aparelho compatível.

Locais que receberão a tecnologia e operadoras responsáveis:

São Paulo – SP

  • Vivo: Av. Paulista, Vila Olímpia, Berrini.
  • Claro: Av. Paulista e Jardins, em um primeiro momento, Depois, a intenção é implementar em Campo Belo, Vila Madalena, Pinheiros, Itaim, Moema, Brooklin, Vila Olimpia, Cerqueira César, Paraíso, Ibirapuera, Berrini, Santo Amaro, Central Única